Resumo do filme A Rede Social

O filme A Rede Social conta a história vivida pelo hacker Mark Zuckerberg por volta de 2003. A história conta um pouco do lado “tubarão” de Mark e as suas reações com as atitudes da ex-namorada e amigos.

Assim como muitos estudantes de tecnologia, Mark possui um temperamento difícil e algumas atitudes “estranhas” para a grande maioria das pessoas. Essas atitudes acabam levando Mark ao final de seu namoro e a uma atitude antiética com as garotas da faculdade. Mark cria uma espécie de rank entre as garotas da faculdade, aonde os alunos podem escolher qual é a mais bela. Ao mesmo tempo, escreve em seu blog todos os seus pensamentos, que posteriormente são utilizados contra si. Esta atitude e todas as advertências contra Mark chamam a atenção de outros estudantes que já possuíam um projeto de rede social (Harvard Connection). Estes estudantes propõem a Mark emprego como desenvolvedor da rede, porém Mark utiliza deste “emprego” como forma de coletar idéias para seu projeto.

Seu colega e co-fundador, um brasileiro, investe 19K para manter o serviço e seus primeiros usuários. Isso vira febre nas universidades do país. Na outra ponta, o criador do Napster entra como sócio com a missão de trazer investimentos ao thefacebook (na época). A estratégia de investimento funciona, porém junto vem o golpe baixo de reduzir as ações do co-fundador de 30% para 0.33%. Claro, assim como retratado no filme, há formas de defesa para isso.

O Facebook vira febre pelo mundo. Os autores do Harvard Connection e o co-fundador do Facebook buscam apoio na justiça para sanar o prejuízo e recebem quantias milionárias.

Resumo do filme Takedown

O filme Takedown conta a história vivida pelo hacker Kevin Mitnick no começo dos anos 90. A história é uma mistura de técnicas de phreaker, cracker, e principalmente engenharia social.

Embora Kevin já estivesse sendo investigado por praticar técnicas de phreaker, o desejo pelo desconhecido falava mais alto. Em freqüentes encontros com outros hackers, recebeu o desafio de um policial disfarçado para conseguir um sistema de escuta telefônica do FBI, chamado SAS. No sistema SAS, Kevin abordou um ex-funcionário da fabricante do SAS lhe propondo emprego e aumentando a sua autoestima. Em contra partida, o ex-funcionário enviou o manual e os códigos do sistema. Para o FBI e o policial disfarçado isso foi uma surpresa e aumentou o interesse em deter Kevin. O uso da engenharia social foi imprescindível para obter acesso ao sistema SAS e a boa parte do sucesso conseguido em todas as abordagens de Kevin.

Ao assistir Tsutomu demonstrando vulnerabilidades telefônicas na televisão, Kevin quis fazer o mesmo e deu-se inicio a caçada de gato e rato. Kevin tenta engenharia social com Tsutomu para obter acesso aos códigos, porém não obtém sucesso e fica muito irritado. Kevin invade a IBM e apaga todas as informações de Tsutomu. Contudo, Tsutomu tem a lei a seu favor e utiliza desses meios para intensificar a caçada por Kevin.

Na corrida para deter Kevin, Tsutomu compartilha, sem consentimento, alguns arquivos importantes. Inclusive um dos seus vírus capazes de afetar milhares de computadores pela internet. Quer dizer, Tsutomu pode passar de herói para bandido. E isso foi um estimulo para Kevin decifrar os arquivos e compartilhar com o mundo “quem realmente era Tsutomu”. Talvez seja por isso que Tsutomu tenha se empenhado tanto na busca por Kevin, viajando por vários países, madrugadas de monitoramento, motivando e recrutando outros profissionais para lhe ajudá-lo.

No final do filme, já com os arquivos (vírus) decifrados e preparados para o compartilhamento em massa, Kevin é surpreendido por uma força tarefa da policia e uma equipe de hackers que intercepta o envio do vírus. Para Kevin isso não faz sentido, visto que Tsutomu criou um vírus. Kevin vai a julgamento e é preso. Logo após Tsutomu vai ao caixa eletrônico sacar dinheiro e o saldo é zero. Talvez não passe de boato, uma mensagem de “free Kevin” é exibida a Tsutomu.